Livro “Bolerus”

Sobre a venda do livro físico (na loja do Absurtos no PagSeguro):

O livro custa R$ 35,00 (+ R$ 7,00 de frete). Somente nas compras por este canal, você receberá o seu exemplar autografado, com dedicatória do autor e um marcador de páginas. O envio será feito pelos Correios na modalidade de envio Impresso. Para comprar, acesse: https://pag.ae/bhsTF7S.


Outros canais de venda on-line do livro físico:


Sobre a venda do e-book:

O e-book “Bolerus” está disponível, com exclusividade, na Loja Kindle da Amazon! Para comprar, acesse: www.amazon.com.br/dp/B078WVM8N7.


Sobre o livro:

Bolerus é um termo instigante para dar nome a um livro que nos sugere uma leitura sem plano de voo definido, em que podemos assistir à dança dos versos construindo imagens, cadências e zumbidos. Nesses poemas e outros delírios líricos de Vanderley Sampaio, somos confrontados com nossos devaneios e temores mais cotidianos ao mesmo passo em que desejamos conhecer o segredo do Universo. O incômodo e inusitado besouro cascudo, que pousa sobre nossas cabeças nas noites quentes e inquietantes, esconde também asas leves e frágeis, que enternecem nossa fúria existencial. E assim, pareando questionamento e desejo, confusão e silêncio, ludicidade e solidão, somos todos convidados a surtar de poesia e a dançar com os insetos barulhentos que sobejam nossos mais profundos pensamentos. (Rose Almeida, bacharel em Letras pela USP e poeta no blog Absurtos).

> Book trailer: https://youtu.be/JwmyMrfPUhE.

> Skoob: www.skoob.com.br/livro/734911ED737409.

> Wattpad (versão para degustação)https://my.w.tt/UiNb/yB5oOE0IgK.


Sobre o autor:

Vanderley Sampaio nasceu em Garça (SP), no ano de 1972. Começou a escrever poesia na adolescência, quando também mergulhou no teatro como ator amador. Jurando que iria voltar, “pediu um tempo” às artes cênicas, para cursar Jornalismo na Unesp, em Bauru (SP). Descumpriu sua promessa e seguiu a vida sem palcos, atuando como jornalista por nove anos e depois como servidor público. Mudou-se para São Paulo (SP) e formou-se em Direito pela USP. Mas a poesia sempre se manteve presente em sua vida. Alguns de seus poemas foram publicados em jornais, sites e nas redes sociais, especialmente no blog Absurtos.


Resenhas:

> “De pegada existencialista, sem abrir mão do humor, dos trocadilhos e da ironia, o livro [“Bolerus”] tira-nos para a dança da vida logo no poema de abertura. (…) A aliteração é recurso constante na obra, forma de fixar no leitor o zumbido do besouro. (…) Mas se ritmo, rimas naturais, concretismo e aliterações estão presentes na forma, o conteúdo, por vezes angustiante, coloca-se em primeiro plano. Não é à toa que Sampaio nomeou o site que criou de Absurtos”. (Trecho da resenha elaborada pela jornalista e escritora Vivian de Moraes, publicada no blog LiteraturaBr. Clique aqui para ler a resenha completa).

> “Como já disse Caetano, [na poesia] nem tudo é métrica e rima, às vezes é dor! A dor de romper, como faz Sampaio. Por isso, “Bolerus” tem um leve cheiro de Tropicalismo na medida em que (…) transforma as palavras em objetos, explorando a sonoridade e a visualidade. Mas também é deliciosamente contaminado por um sutil sabor de poesia-práxis ao se preocupar com os aspectos semânticos das palavras, (…) abrindo a possibilidade de múltiplas leituras”. (Trecho da resenha elaborada pelo jornalista e sociólogo Marcos Fidêncio, publicada no site da Revista Conexão Literatura. Clique aqui para ler a resenha completa).

> “A construção adotada pelo autor para dar vida à sua obra é louvável. Cada poema é especial à sua maneira (…). Os assuntos são diversos e a proposta é interessantíssima e convidativa – especialmente para aqueles que querem iniciar seu gosto pelo gênero poesia (…). Realmente uma escrita elucidativamente capaz de transformar nossas horas em segundos”. (Trecho da resenha elaborada por Vitor Lessa, do Próximo Parágrafo. Clique aqui para ler a resenha completa).

> “Em Bolerus (…), somos recebidos por uma magnífica coleção de versos sobre emoções e sentimentos, escritos de uma forma artística e de uma inteligência brilhante. (…) Uma coisa que eu amo em poesias, é como é possível brincar com as palavras, fazendo elas dançarem, cantarem, ou simplesmente serem complementares umas das outras. Acho que o autor soube trabalhar isso muito bem ao decorrer do livro. (…) Tudo foi feito com tamanha veemência, fazendo com que simples palavras se tornassem sentimentos e arte dentro de nós”. (Trecho da resenha elaborada pela escritora e poeta Ana Catarine Mendes, do blog Pensadora Geek. Clique aqui para ler a resenha completa).

> “(…) em Bolerus sentimos o lado teórico, racional, falar mais alto ou tão alto quanto o do sentimento. (…) O autor consegue fazer algo complexo ser simples e de fácil entendimento. (…) É um livro leve, rápido de ler, que proporciona algumas reflexões e que pode ser degustado tanto em uma tarde, quanto deixado na mesa de cabeceira para ser consumido aos poucos”. (Trecho da resenha elaborada por Natasha Chanoski, do blog Um Novo Roteiro. Clique aqui para ler a resenha completa).

> “O que dizer desse livro que me encantou e intrigou, do começo ao fim, na mesma proporção?! (…) Os poemas do autor são marcados por musicalidade, sonoridade e temas instigantes e reflexivos. (…) Afirmo, com toda certeza, que esse foi o livro de poemas que eu mais gostei de ler até hoje. (…) Recomendo a leitura para quem quer começar a se aventurar pelos livros de poemas e para quem já gosta do gênero”. (Trecho da resenha elaborada por Sabrina Rodrigues, do blog Ste Livros. Clique aqui para ler a resenha completa).

> “Para compor seus poemas, o autor se utiliza muito da aliteração e dos jogos de palavras. (…) Essa brincadeira com os sons traz muita riqueza para a poesia de Vanderley. (…) A poesia concretista também encontra seu espaço no livro e, junto da diagramação, traz muita vida às páginas, que parecem sempre estar em movimento. (…) Vida foi o que encontrei no livro de Vanderley Sampaio; por vezes li os poemas em voz alta, experimentando o sabor das palavras”. (Trecho da resenha elaborada por Beatriz Kollenz, do blog La Oliphant. Clique aqui para ler a resenha completa).


Entrevistas:

> Em entrevista ao Blog do Escritor (Grupo Editorial Scortecci), Vanderley Sampaio fala do que trata seu livro “Bolerus”, do sonho de publicar e de como é ser escritor em um país com poucos leitores. “O resultado da escrita pode não atingir a quem poderia ou deveria, mas sempre acaba sendo um agente transformador na vida de alguém, principalmente, na vida de seu próprio autor”, diz Sampaio. Clique aqui para ler a entrevista completa.

> “É preciso que mais livros de poesia sejam publicados, divulgados e lidos. É um gênero fundamental na literatura e não deveria ser preterido ou minimizado”, diz Vanderley Sampaio, defendendo a poesia, em entrevista concedida à Revista Conexão Literatura (edição de fevereiro de 2018). Leia a entrevista completa clicando aqui.

> “A palavra como forma e a palavra ressignificada são coisas que me encantam. As múltiplas possibilidades metafóricas da palavra fazem da poesia de João Cabral de Melo Neto, por exemplo, um rio de comunicações”, opina Vanderley Sampaio, ao falar sobre algumas de suas referências em entrevista concedida à Revista Arca Literária. Clique aqui e leia a entrevista completa.