Bolerus por aí (024) – Copacabana (Rio de Janeiro)

Já faz um tempo que o “Bolerus” desejava alçar voos maiores. Aproveitou o feriado do Dia do Trabalho e pegou um avião para o Rio de Janeiro. Decidiu que ia caminhar pela orla sem pressa, mas com algumas paradas muito bem pensadas. Quis conhecer a estátua de Clarice Lispector e seu cachorro Ulisses (esculpida por Edgar Duvivier e inaugurada em 2016), ali no Leme, onde a escritora morou por 12 anos. Exibiu-se para ela, bateu um papo, fez fotos e seguiu. Ficou embriagado com as curvas dos desenhos de pedra no calçadão de Copacabana. Era o dia 02/05/18 e a praia estava tranquila. O “Bolerus” 024 sabia que era chegada a hora de escolher onde ficar. Então, sendo um bom livro de poemas, não podia deixar de prestar homenagem ao querido poeta Carlos Drummond de Andrade. O mineiro passou importante parte da vida no Rio e foi imortalizado com uma escultura, criada pelo artista plástico Leo Santana por ocasião das comemorações do centenário de Drummond (2002). Assim, nosso livrinho verde resolveu trocar versos com o itabirano e ficar junto com ele no banquinho, esperando ser levado por um carioca ou um turista pronto para amar a poesia. Voe, “Bolerus”!

> Para comprar o “Bolerus” impresso, acesse: https://pag.ae/bhsTF7S.

> Se preferir o e-book, acesse: http://amzn.to/2AL1uVl.

Bolerus por aí (023) – Aeroporto de Congonhas

De tanto a gente falar “voe, ‘Bolerus’!”, não é que ele resolveu levar ao pé da letra?! Nosso livrinho sonha alto e quis ver como é o vai e vem das pessoas que vão longe. Então, nós o levamos para conhecer o Aeroporto de Congonhas, encravado na cidade de São Paulo e fundado oficialmente em 1936. O terminal conta com cerca de 580 pousos e decolagens e recebe mais de 57 mil passageiros por dia. O “Bolerus” 023, na manhã do dia 30/04/18, observou os aviões na pista e deixou-se descansar numa das cadeiras do setor de embarque. Alguém com um destino incrível haveria de encontrá-lo e levá-lo na viagem. Agora, sim: voe, “Bolerus”!

> Para comprar o “Bolerus” impresso, acesse: https://pag.ae/bhsTF7S.

> Se preferir o e-book, acesse: http://amzn.to/2AL1uVl.

Bolerus por aí (022) – Vão Livre do Masp

O Museu de Arte de São Paulo (Masp) foi fundado em 1947 e sua primeira instalação ficava na Rua 7 de Abril, no centro da capital paulista. Em 1968 mudou-se para o famoso prédio da Avenida Paulista, projeto arquitetônico de Lina Bo Bardi, que deu leveza e transparência ao imenso bloco de concreto e vidro, sustentado por apenas quatro colunas nas extremidades, proporcionando uma ampla esplanada para ser usada como praça pela população. Nascia, assim, o Vão Livre do Masp, que se tornou palco de grandes manifestações, feiras de antiguidades, exibições de filmes, apresentações de artistas de rua e um dos maiores pontos de encontro da cidade. E se tem uma coisa que o nosso “Bolerus” adora, é encontrar gente. Então, nas suas andanças por aí, no dia 27/04/18, o “Bolerus” 022 resolveu ficar por lá, pra ver quem se animaria a levá-lo pra casa numa noite de sexta-feira agitada na metrópole. Voe, “Bolerus”!

> Para comprar o “Bolerus” impresso, acesse: https://pag.ae/bhsTF7S.

> Se preferir o e-book, acesse: http://amzn.to/2AL1uVl.